Área de Conhecimento

Nesta secção há o compartilhamento de artigos, textos, opiniões e ideias sobre assuntos que envolvem a nossa sociedade como um todo de forma a permitir o desenvolvimento de uma opinião crítica principalmente sobre situações que envolvem o nosso dia a dia, não apenas como pessoas, em nossas relações mais próximas, bem como aquelas interações profissionais.

Minha primeira morte

Dia 1° de junho de 1987.

Estava com meu pai no Hotel Eldorado da Rua São Luiz, no centro da cidade de São Paulo.

Morando em Santa Isabel era para lá que eu ia quando meu pai estava por aqui.

Eram cerca de 20 horas da noite, quando minha mãe ligou.

Meu avô Felipe tinha falecido.

Jamais, até então, a morte atingira alguém próximo a mim.

Me atingiu...

Meu avô Osvaldo, pai da minha mãe, falecera antes de eu nascer.

Desde então, as portas das perdas passaram a me visitar com maior frequência.

Tristezas sem medida.

Ao longo de nossas existências, aprendemos a viver com elas.

Uma visão meio sombria de ver as coisas.

Talvez por isso a busca por, ao menos tentar, entende-las sobre outra ótica, pode ajudar.

A espiritualidade pode ser um dos caminhos.

A crença em ver a morte como uma mera ida a um andar superior, pode ser outro.

Acreditar que Deus os chama para perto de Si, também.

Ainda assim, o mistério em saber o que está por lá nos deixa aflitos.

Receber estes momentos como perda, talvez um egoísmo pela ausência da presença física.

A morte, creio eu, seja o único momento que a todos iguala.

Uma democracia sem parâmetros.

Eterniza a todos.

Ainda assim, quem sabe seja apenas uma passagem mesmo.

Porque a verdadeira morte acontece apenas quando deixamos de ser dignos dos valores e dos momentos compartilhados com aqueles que foram chamados por Deus.

Por isso mesmo, posso afirmar que hoje faz 30 anos que mantenho meu avô Felipe eternizado no meu coração, juntamente com tantos outros sobre os quais tantas lágrimas soltei, em momentos de profunda tristeza e alegria por mante-los neste novo abrigo que mantenho em meu peito.